Carga unitizada, você sabe o que significa?

Postado por
Notícias

O avanço no embarque de cargas deu-se com a criação do conceito de carga unitizada, primeiramente, de forma mais rudimentar, através de amarrados, tambores, redes, etc. e, posteriormente, através da criação de pallets e, principalmente, pela criação do container, que foi a tecnologia mais bem sucedida e importante para o desenvolvimento do transporte marítimo e aquaviário.

O conceito de unitização na da mais é que o ato ou efeito de unitizar. Unitizar é reunir (cargas de diversas naturezas) num só volume, para fins de transporte.
Para fins econômicos, a unitização auxilia a movimentação, armazenagem e transporte de produtos, fazendo com que a transferência, do ponto de origem até o seu destino final seja com o mínimo de manuseio possível. Dentro do conceito de unitização de cargas, inclusive porque os modais cada vez mais requerem este procedimento, várias são as vantagens resultantes, como:

Redução da quantidade de volumes a manipulados;

  • Menor número de manuseio da carga;
  • Menor utilização do uso de mecanização;
  • Redução no tempo de operação de embarque e desembarque;
  • Redução dos custos de embarque e desembarque.
  • Redução de custo com embalagens;
  • Diminuição das avarias e roubos de mercadorias;
  • Incentivo da aplicação do sistema door-to-door (porta a porta);
  • Padronização internacional dos recipientes de unitização.

Em um determinado tempo de minha formação, questionei-me sobre o assunto container x unitização. Oras, se o conceito de unitização é o ato ou efeito de unitizar, posso concluir que o container é uma forma de unitização. “Não”, essa foi a resposta que recebi de meu professor, porém nunca acredite nesse “Não” e fui pesquisar e conclui que: Conceito Container é uma caixa, construída em aço, alumínio ou fibra, criada para o transporte unitizado de mercadorias e suficientemente forte para resistir ao uso constante.

PRINCIPAIS FORMAS DE UNITIZAÇÃO

  • Containers
  • Paletização
  • Pré-lingagem

DRY BOX: Totalmente fechado, com portas nos fundos, sendo o container mais utilizado e adequado para o transporte da maioria das cargas gerais secas existentes, como alimentos, Roupas, móveis, etc. Pode ser de 20’ ou 40’

VENTILATED: semelhante ao dry box, porém com pequenas aberturas no alto das paredes laterais, podendo também tê-las na parte inferior das paredes, para permitir a entrada de ar, para transporte de cargas que requerem ventilação como café e cacau.

REEFER:
também semelhante ao dry box, totalmente fechado, com portas nos fundos, apropriado para embarque de cargas perecíveis congeladas ou refrigeradas, que precisam Ter a sua temperatura controlada, como carnes, sorvetes, frutas e verduras.

BULK CONTAINER:
similar ao dry box, totalmente fechado, tendo aberturas no teto (escotilhas) para o seu carregamento e uma escotilha na parede do fundo, na parte inferior para a descarga, apropriado para transporte de granéis sólidos como produtos agrícolas.

OPEN TOP:
container sem teto, que é fechado com lonas para transporte de cargas que apresentam dificuldades para embarque pela porta dos fundos e necessitam de um acesso especial, embora também possua a porta normal nos fundos. Próprio para mercadorias que excedam a altura do container, cujas cargas não poderiam ser estufadas num container dry box tradicional

HALF HEIGHT:
container open top, sem teto, porém de meia altura – 4’ ou 4’3”, fechado com lonas e cabeceira basculante, adequado para embarque de minérios, cuja carga é extremamente densa e se embarcada em um open top, este não poderia ser utilizado integralmente quanto ao aspecto de volume, representando uma ocupação de espaço indevido no navio

OPEN SIDE:
com apenas três paredes, sem uma parede lateral, este container é apropriado para mercadorias que apresentam dificuldades para embarques pela porta dos fundos, ou que excedam um pouco a largura do equipamento ou ainda para agilização de sua estufagem.

FLAT RACK:
container plataforma, sendo uma combinação do open top e open side, sem as paredes laterais e sem teto, com cabeceiras fixas, ou dobráveis, adequado para cargas pesadas e grandes e que excedam um pouco as suas dimensões.

PLATAFORM:
container plataforma sem paredes e sem teto, tendo apenas o piso apropriado para cargas de grandes dimensões ou muito pesadas.

TANK:
container tanque, dentro de uma armação de tamanho padronizado, próprio para transporte de líquidos em geral, perigosos ou não.

PALLET
Pallet é uma unidade semelhante a um estrado plano, construído principalmente de madeira, podendo, porém, ser também de alumínio, aço, plástico, fibra, polipropileno, papelão, com determinadas características para facilitar a unitização, armazenagem e transporte de pequenos volumes
No formato, o pallet pode ser quadrado ou retangular. Quanto às faces, para acomodação de cargas, pode ser simples (mais frágil), dando à carga a possibilidade de utilização apenas desta face; ou ter duas faces diferentes, sendo uma para receber a carga e a outra apenas de suporte; ou ainda ter duas faces iguais, ou seja, ser um pallet reversível, podendo ser utilizado para carga em qualquer uma das duas faces.

PRE-LINGAGEM
Envolvimento da carga por redes especiais ou cintas com alças adequadas à movimentação por iça mento

NATUREZA DA CARGA TRANSPORTADA

  • Carga Geral
  • Carga Granel
  • Carga Frigorífica
  • Carga Perigosa

Carga Geral – Carga embarcada e transportada com ou sem adicionamento em Pallet.
Carga a granel – (Sólida ou liquida) trata-se de carga líquida ou seca embarcada e transportada sem acondicionamento sem marca de identificação e sem contagem de unidade. Ex: Soja, Arroz.
Carga frigorífica – O que necessita para conservar as qualidades essenciais do produto congelado.(Ex: Carnes, frutas, etc…).
Carga perigosa –  É todo e qualquer produto químico que possa causar dano ao homem, e o meio ambiente.

A orientação quanto à correta denominação do produto a ser transportado, no sentido de permitir uma uniformidade no cumprimento das exigências regulamentares referentes à documentação e inclui critérios de classificação para produtos que não constem da Relação de produtos Perigosos.

Baseado no assunto abordado, é correto afirmar que utilizando os fatores e ferramentas adequadas para unitizar, carregar, armazenar, transporta cargas de um ponto de origem para um ponto de destino estaremos minimizando riscos de perda de mercadorias e maximizando a eficiência no processo da cadeia logística.

Fonte: https://administradores.com.br/



A Choice Logistics cria soluções baseado na necessidade do cliente e oferece transporte rodoviário nacional para Container e Cargas Soltas nos principais Portos, Aeroportos e Eadi´s dos Estados do Paraná, Santa Catarina e São Paulo. Atuamos com Cargas nacionalizadas de importação, cargas de exportação, cargas projeto e em regime de trânsito aduaneiro (DTA), sempre desenhando nossa operação logística para atender os prazos e exigências operacionais de nossos clientes.

Choice Logistics é a sua parceira em operações aduaneiras

Comentários (2)

  1. Marcos goes

    Ótimo trabalho!
    Após perder muito tempo na internet encontrei esse blog
    que tinha o que tanto procurava.
    Parabéns pelo texto e conteúdo, temos que ter mais
    artigos deste tipo na internet.
    Gostei muito.
    Meu muito obrigado!!!

Deixe um comentário

Carregando…
Português »