Fechamento de portos e falta de containers atrasam entregas de compras na China

Postado por
Notícias

A logística marítima internacional tem encontrado dificuldades no último ano, o que levou a uma disparada no preço dos fretes e atrasos

no envio de cargas, sobretudo as fabricadas na China. A chegada de novas variantes do coronavírus agravou a situação, levando portos a fechar parcialmente.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Despachantes Aduaneiros do Estado do Ceará (Sindace), Sérgio Amora, os fretes tiveram aumento de preço de até 1.000% entre 2019 e 2021, o que torna os negócios inviáveis para alguns importadores.

A falta de containers no mercado também impacta em atrasos nas entregas, levando empresários a depender de fornecedores nacionais.

Busca por containers

Advogado especializado no segmento de comércio internacional, transportes e infraestrutura, Larry Carvalho contextualiza que os problemas de logística marinha começaram logo no início da pandemia.

Os containers começaram a passar mais tempo nos portos. Muitas empresas sem poder trabalhar quebraram, deixando muitos containers abandonados. Tudo começou ano passado com esse problema logístico, os containers vazios estavam começando a demorar voltar para a ChinaLarry John Rabb Carvalho, advogado especializado no segmento de comércio internacional, transportes e infraestrutura

Outros problemas se somaram. O encalhe do navio mercante Ever Given no Canal de Suez em março deste ano atrasou por semanas demandas do comércio internacional

A situação ficou mais complicada à medida que a economia voltou a aquecer. Com os negócios reabrindo, voltou a haver uma maior procura por fretes internacionais, mas a oferta de navios e containers ainda está reduzida. O resultado imediato foi o aumento nos preços.

“Tem muita empresa utilizando containers refrigerados, desligam parte da refrigeração para usar containers. Tá uma situação muito complicada, é uma tempestade perfeita. Isso tem atrasado cada vez mais os embarques, seja porque o fornecedor não consegue container, ou o porto tá congestionado”, diz.

Conforme o especialista, os atrasos atualmente podem chegar a até quatro meses.

Novas variantes

A chegada de novas variantes do coronavírus agravou o cenário. Em maio, a China fechou o porto de Yantian após surto de Covid entre funcionários.
E, no último dia 13, o país anunciou o fechamento parcial do porto de Ningbo-Zhoushan, o terceiro maior porto do mundo, também em razão de contaminações pelo vírus.

“É uma situação bastante complicada porque um terminal fechado por 3 ou 4 dias já cria uma fila de 350 navios de espera. Quando ele volta a funcionar não volta ao normal, tem que operar essa fila. Vai criando represamento, são cinco dias que criam uma necessidade de meses para desafogar”, elucida Larry.

Conforme o presidente do Sindicato dos Despachantes Aduaneiros do Estado do Ceará (Sindace), Sérgio Amora, o imbróglio tem impacto em diversos setores industriais e comerciais brasileiros, principalmente por se dar na China, a principal fonte de importações do Brasil.

Só neste ano, o país já importou o equivalente a US$ 25.416.283.756 da China, conforme dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

Algumas das principais áreas afetadas são as indústrias têxtil, automobilística, de informática, e de matéria prima de plástico, diz Amora, que também é delegado do Ceará da Federação Nacional dos Despachantes Aduaneiros (Feaduaneiros).

Fretes mais caros

Sérgio Amora destaca que o aumento no valor dos fretes marítimos tem tornado a importação inviável para pequenos negócios.
Em 2019, um frete de container de 20 pés da China, que suporta em torno de 30/33m³, custava 2 mil dólares. Hoje, custa 20 mil.

Além do aumento real em dólar, ainda teve a desvalorização do real. Não existe mais pequeno importador, médios ainda existem alguns e os grandes resistemSérgio Amora presidente do Sindace

Para além dos valores já exorbitantes de frete, os importadores também sentem no momento da tributação das cargas, já que a Receita Federal aplica alíquota sobre o valor total, incluindo o frete. “Existem cargas em que o frete é mais caro que o valor da mercadoria”, coloca.

O impacto chega na ponta para o consumidor à medida que as empresas locais repassam os custos de importação. Segundo ele, porém, quem faz importações menores da China por meio de e-commerce não tem problemas, já que o transporte é feito por via aérea.

Para Amora, não existem perspectivas de um arrefecimento da situação ainda este ano. Pelo contrário, a situação deve se agravar com o aquecimento do comércio de fim do ano.

Busca à indústria local

O diretor da Alushopping Alumínios Fortaleza, Cristiano Sávio, conta que a empresa costumava importar insumos da China, mas decidiu mudar de estratégia no ano passado em razão de atrasos e aumento no preço dos fretes.

“O frete marítimo já estava um absurdo, agora está praticamente inviável trazer alguma coisa. E também tem a questão da falta de container”, relata.
Para não ficar sem matéria prima, a empresa começou a trazer alumínio de uma indústria parceira em São Paulo. A estratégia deu certo, levando o negócio a praticamente dobrar o faturamento no período de um ano.

Fonte: Diario do Nordeste


A Choice Logistics cria soluções baseado na necessidade do cliente e oferece transporte rodoviário nacional para Container e Cargas Soltas nos principais Portos, Aeroportos e Eadi´s dos Estados do Paraná, Santa Catarina e São Paulo. Atuamos com Cargas nacionalizadas de importação, cargas de exportação, cargas projeto e em regime de trânsito aduaneiro (DTA), sempre desenhando nossa operação logística para atender os prazos e exigências operacionais de nossos clientes.

A Choice Logistics é a sua parceira em operações aduaneiras

 

Tags:
movimentação de container, carga fracionada, transporte de container em curitiba, transporte de container em paranagua, Carga aerea, Carga portuária, logistica de conteiner, estufagem de conteiner, consolidação de conteiner, transporte de cntr

#cargaportuária #logisticadeconteiner #estufagemdeconteiner #transportedeconteiner #transportedecntr

Carregando…
Português »